Opinião

A Câmara de Tomar e o problema dos e-mails (Opinião)

Flávio Nunes. “Ainda só vamos em fevereiro e já por três vezes a Câmara Municipal deixou a Tomar TV sem resposta.”

O ano é novo, mas os hábitos mantêm-se. Ainda só vamos em fevereiro e já por três vezes a Câmara Municipal de Tomar deixou a Tomar TV sem resposta. Vejamos.

1. O caso mais recente aconteceu quando, com grande estupefacção, vimos uma imagem aérea do nosso operador Orlando Oliveira estampada na capa e miolo do boletim “Tomar Nota”. Os créditos? “Orlando Vitorino”, surge indicado. A imagem em causa mostra o Castelo dos Templários e Convento de Cristo capturados pelo drone do Orlando e para um trabalho da Tomar TV. Nunca foi dada autorização para tal, nem tampouco fomos contactados a solicitar permissão — que seria dada gratuitamente e de bom gosto, como já fizemos para canais de televisão bem conhecidos dos portugueses.

Rapidamente, entrei em contacto via telefone com o gabinete de comunicação da Câmara Municipal de Tomar, que — pasme-se! — me solicitou que avisasse o Orlando para entrar em contacto com eles. Ver-mo-nos numa situação destas e ainda termos de ser nós a tratar do assunto é realmente fascinante, pelo que, em vez disso, enviámos um e-mail à autarquia a solicitar que fizesse o que dizem os bons costumes: assumir o erro, pedir desculpa. Da nossa parte, seria assunto encerrado.

Mas não. A Câmara Municipal de Tomar achou-se no direito de usar a imagem sem prestar contas a ninguém, porque é mais fácil enfrentar um processo judicial com dinheiro dos contribuintes do que assumir um erro e perder votos — cheira a eleições, não cheira? Ainda para mais, a imagem roubada foi também usada no Facebook e site do município. O e-mail que enviámos foi lido. Até hoje, a Tomar TV não recebeu resposta. E o assunto não vai ficar por aqui.

2. Por falar em Facebook, enviámos um conjunto de perguntas à Câmara Municipal de Tomar acerca da gestão da página oficial do município. As primeiras, verdade seja dita, foram respondidas. Mas deixaram dúvidas no ar. Como órgão de comunicação social, remetemos, de boa-fé, mais algumas questões para que o gabinete de comunicação fizesse aquilo que lhe compete: comunicar e esclarecer.

Até hoje, as dúvidas permanecem — como se percebe nesta reportagem. Foi mais um e-mail que a Tomar TV enviou à Câmara Municipal de Tomar, que foi lido, mas que não teve qualquer resposta. O caso parece indicar que fizemos as perguntas certas. Mas foi assinado um contrato com uma nova empresa de assessoria, pelo que se espera que a comunicação da autarquia melhore. Pelos valores em causa, 38.400 euros mais IVA, só pode melhorar.

3. Este último ponto é novo e ainda não era conhecido do público, por isso agarre-se bem: falámos com os Bombeiros Municipais de Tomar para que adicionassem um contacto telefónico da Tomar TV à lista dos contactos da comunicação social local que recebem os alertas dos bombeiros. Somos um órgão de comunicação de âmbito local, devidamente registado. Ainda assim, o pedido foi-nos rejeitado pelo que nos pareceu serem ordens superiores — e, quiçá, externas à corporação.

O que fizemos? Sabendo do dever das instituições públicas de tratarem os media de forma igual, remetemos um e-mail à Câmara Municipal de Tomar a insistir para que o nosso contacto fosse incluído na base de dados dos bombeiros. No mesmo e-mail, recordámos a autarquia de quando, em 2015, o nosso endereço foi removido da mailing list do gabinete de comunicação, tendo sido reposto por insistência nossa. O que aconteceu depois? Adivinhou: não obtivemos qualquer resposta e o e-mail foi lido.

Chegados aqui, existem três conclusões possíveis de retirar: ou a Câmara Municipal de Tomar escolheu não responder a qualquer mensagem de correio eletrónico da Tomar TV, ou a autarquia recebe tanta correspondência que não consegue dar despacho em boa-hora e contratou novos assessores para dar uma mãozinha, ou pura e simplesmente a Câmara Municipal tem um problema técnico no e-mail. Não duvidando da boa-fé de quem conduz os destinos da autarquia, só posso crer tratar-se desta última hipótese.

Afinal, sempre deveria ter aberto a tal vaga para técnico de informática….

Flávio Nunes
Diretor-geral da Tomar TV

Flávio Nunes
Flávio Nunes
Jornalista, diretor-geral e co-fundador da Tomar TV.
http://tomartv.com

3 thoughts on “A Câmara de Tomar e o problema dos e-mails (Opinião)

  1. Penso que o problema entre vocês e a CMT, seja talvez porque gostam muito da côr de Laranja…vamos lá a ver agora quando se aproximarem as eleições para a CMT, qual a cør que os “jotinhas” da Tomar tv vão apoiar ou se conseguém ser verdadeiramente independentes…cá estaremos para ver…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *