In-between

In-between: Para ter sucesso é preciso sacrifício. Será?

Sara Sequeira: “Milhares de empresas recrutam estagiários sem pagar um cêntimo. Muitos têm contas para pagar.”

Sacrificar. Verbo com tendência a ser aplicado no trabalho laboral, principalmente entre jovens acabados de se licenciar. Verbo que é visto como algo “positivo” se alguém quer subir na carreira.

Isto deixa-me extremamente preocupada. Chegamos ao ponto em que, se queremos trabalhar, temos de pagar para fazê-lo. O pior é que existem pessoas da minha geração com este pensamento — sinceramente, não esperava.

Por brincadeira, fiz uma pequena sondagem no meu Instagram com a seguinte pergunta:

“Um fotografo convida uma modelo para um projeto pessoal dele. No seguimento da conversa, diz que é a modelo a suportar os custos do hotel e afins. É justo ser a modelo convidada a pagar por um projeto que não é seu?”

Fui, convicta de que iria ter 100% na opção “fotógrafo”. Mas, por minha surpresa, obtive 38% em “modelo”. O que era algo por brincadeira, já que achava a sondagem ridícula, passou a ser um assunto sério. Fui tentar compreender o que levava as pessoas a votarem assim. A resposta foi surpreendente:

— “…tens de lutar pelo sucesso, tens de te sacrificar”.

Como é possível alguém achar que temos de nos submeter a este tipo de situações se queremos subir na carreira? Este pensamento não é apenas no mundo artístico: acontece em muitos mais. É este o pensamento de milhares de empresas que recrutam estagiários sem pagar um cêntimo. Muitos deles têm contas para pagar: transportes, casa, comida. Pagam para poderem trabalhar. Pagam por experiência que, depois, os leva a terem uns contratos temporários. E vão saltando de mão em mão.

As pessoas precisam de ter mais confiança em si e não desvalorizarem o seu trabalho.

Algo que se passa muito, com muitos fotógrafos, modelos e em muitas outras profissões, são os que fazem o trabalho gratuito. E torna-se cada vez mais escasso o trabalho. Banaliza-se tudo. A qualidade acaba por ser “posta em segundo lugar” quando os euros falam mais alto. Para quê pagar se arranjamos de borla? Existe sim uma descompensação no mercado. Porque querem ser o que não são. E pagam para sê-lo.

Vejo-vos na próxima quinta-feira. Até lá, desejo-vos uma ótima semana.

Sara Sequeira
Modelo e blogger tomarense


Este é um artigo de opinião. As opiniões publicadas na Tomar TV são da responsabilidade da autora que as subscreve.

Sara Sequeira
Sara Sequeira
Autora da rubrica "In-between", escreve à quinta-feira
https://www.plushakeblog.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *